Cuidar Mais

Revista virtual da ACG Home Care. Aqui você terá dicas de como manter sua vida com mais qualidade, saúde e bem estar!


Deixe um comentário

Cura do HIV em 2 homens após transplante de medula óssea.

Por Amanda Gardner
Repórter HealthDay
Tradução: Alexandre Moreira – Diretor de Marketing ACG Home Care

Quinta-feira 26 jul (HealthDay News) – após transplantes de medula óssea, dois homens infectados com HIV não têm mais qualquer vestígio do vírus da AIDS em seus linfócitos, diz relatório médico.

Os linfócitos são um tipo de glóbulo branco e são uma parte chave do sistema imunológico.

Os médicos e cientistas dos EUA apresentam que transplante de medula óssea, juntamente com a continuação da terapia anti-retroviral resultou nos efeitos dramáticos evidentes oito meses após o transplante. Eles irão apresentaram estas conclusões preliminares na Conferência Internacional de AIDS em Washington, DC.

Pacientes com HIV em terapia anti-retroviral, atingiram a “carga viral indetectável”, significando que não há partículas de vírus em seu sangue. Eles ainda têm HIV latente nos linfócitos, mas não possuir nenhum vestígio de HIV nestas células brancas do sangue é uma indicação de que este “reservatório” de HIV latente pode ter sido eliminado, acreditam os pesquisadores.

Ainda está longe de dizer se estes pacientes são curados, mas as descobertas são “emocionantse”, disse Savita Pahwa, diretor do Center for AIDS Research da Universidade de Miami Miller School of Medicine, que não estava envolvido com o estudo.

“Eliminar o reservatório é a chave para a cura”, disse Pahwa. Ela também ressaltou que só seria possível dizer que há cura se o vírus não se recuperar quando os pacientes estiverem sem a terapêutica anti-retroviral.

Os dois homens cujos casos são descritos no documento foram submetidos à quimioterapia para cânceres de sangue antes de receberem transplantes de células-tronco. Um deles fez seu transplante há dois anos, o outro a quatro anos atrás. Ambos desenvolveram a doença enxerto-versus-hospedeiro (quando as células transplantadas atacam as células hospedeiras) e continuaram com as suas medicações anti-retrovirais durante e após os procedimentos de transplante.

Qualquer um desses fatores poderia, teoricamente, explicar o seu estado livre de HIV, mas o transplante de medula óssea combinada com a terapia anti-retroviral parece ser a explicação mais provável, disseram os autores do estudo.

“Acreditamos que as células transplantadas substituíram todos os linfócitos dos próprios pacientes, incluindo as células infectadas, e as células doadoras foram protegidos da infecção pela terapia anti-retroviral que tomaram ao longo do período de transplante”, disse o autor do procedimento Dr. Daniel Kuritzkes, chefe de doenças infecciosas no Hospital Brigham and Women e professor de medicina na Harvard Medical School, em Boston.

O enxerto-versus-hospedeiro provavelmente também desempenhou um papel importante, disse ele. “A substituição de células hospedeiras por células do doador é em si uma forma de enxerto-versus-hospedeiro de reação,” disse Kuritzkes.

Mas a única maneira de verificar se o transplante e terapia anti-retroviral pode erradicar o HIV é levar os pacientes fora de seus regimes de medicação. Esse seria o “próximo passo lógico”, disse Kuritzkes, acrescentando que isso exigiria o consentimento do paciente e adesão aos protocolos de ética.

Mas, mesmo se o procedimento de transplante seja comprovado como a cura do HIV, o transplante de medula óssea é um procedimento muito arriscado. Kuritzkes disse que não “prevê transplante de medula óssea em pacietes saudáveis que estejam fazendo bem a terapia anti-retroviral.

Os pesquisadores ainda acompanham os pacientes com HIV que foram submetidos a transplantes de medula óssea, como parte de um estudo maior.

Ainda há um paciente na Alemanha que, como os dois americanos, também foi diagnosticado com HIV e submetido à quimioterapia (para leucemia mielóide aguda) e desenvolvido enxerto-versus-hospedeiro da doença. Mas, ao contrário dos pacientes atuais, que receberam o transplante, o doador deste tinha uma mutação genética rara que aumenta a imunidade contra a forma mais comum do HIV. Este paciente permaneceu livre de HIV após a interrupção da terapia anti-retroviral.

Os dois homens americanos que receberam o transplante, eram de doadores “completamente suscetíveis” ao HIV, disse Kuritzkes. Isso levanta a possibilidade de que a cura pode ser possível mesmo quando o doador não tem esta mutação genética, disse ele.

Como esta pesquisa ainda não foi revisada e publicada em uma revista médica, os dados e conclusões devem ser considerados preliminares.

Anúncios


Deixe um comentário

Avaliação de qualidade ACG Home Care

No segundo trimestre de 2012 a ACG Home Care foi avaliada pelos seus mais de 40 colaboradores.

Alguns estudiosos em administração afirmam que a avaliação de desempenho é uma técnica que auxilia a empresa a obter uma visão mais objetiva dos seus processos internos, avaliando seus comportamentos – em um determinado momento – segundo suas tarefas e responsabilidades.

As avaliações permitem uma maior aproximação entre as chefias e os funcionários, através da clara definição dos resultados a serem alcançados com o trabalho. A pesquisa aplicada na ACG foi efetuada de forma anônima para evitar constrangimento por parte dos profissionais.

Somente após o período total de avaliação, que foi de quatro semanas, os envelopes foram abertos e tabulados conforme dados abaixo.

Os itens avaliados foram:

  • Direção da empresa
  • Gestão em saúde
  • Procedimentos administrativos
  • Postura profissional do quadro administrativo
  • Comunicados internos
  • Manuais
  • Treinamentos
  • Fornecedores

Os índices alcançados, respectivamente com o cronograma acima, foram:

  • 72% Muito bom /16%  Bom / 2%Razoável
  • 66% Muito bom / 44% Bom
  • 80% Muito bom /18% Bom /2% Razoável
  • 86% Muito bom /12% Bom /2% Razoável
  • 64% Muito bom / 28% Bom /8% Razoável
  • 54% Muito bom / 46% Bom
  • 80% Muito bom /16% Bom / 4% Razoável
  • 44% Muito bom / 52% Bom /4% Razoável

 

A média geral atribuída a instituição foi de 8,7.

O sucesso de um processo de avaliação, em grande parte, depende dos avaliadores e daqueles que estão em relação direta com o avaliado, pois a eles cabe a distribuição de encargos e o monitoramento do trabalho proposto diante dos objetivos da organização e os do próprio funcionário.

Uma avaliação de desempenho se resume na interpretação do comportamento relativo ao trabalho que cada um deve executar. Ou seja, a avaliação não é um ato momentâneo, mas envolve um processo de observação e acompanhamento da atuação de todos os colaboradores e a interpretação de fatos observáveis.

A ACG Home Care agradece a todos os membros de sua equipe pelo trabalho e comprometimento com nossa principal missão, que é a excelência em qualidade dos serviços prestados.

Alexandre Moreira

Diretor de Marketing

ACG Home Care


Deixe um comentário

Óleo de Lorenzo: produto do amor

O filme Óleo de Lorenzo, lançado em 1992, conta a história de Lorenzo Odone a partir dos 6 anos de idade, quando foram percebidos os primeiros distúrbios oculares, e a saga de seus pais Augusto e Michaela Odone em encontrarem a cura para uma doença que, segundo os médicos, o levaria a morte em pouco tempo.    Lorenzo foi diagnosticado portador de ALD, adrenoleucodistrofia, doença genética que destrói progressivamente o sistema neurológico, atacando a bainha de mielina, responsável pelos impulsos elétricos do cérebro.

Augusto Odone, economista, passa noites na biblioteca procurando entender a doença, e descobriu que o dano ao cérebro de Lorenzo estava ligado ao aumento de uma longa cadeia de ácidos graxos no sangue. Menos de um ano depois ele e a esposa desenvolveram um tratamento baseado na combinação de dois óleos, oliva e colza (canola), que efetivamente reduziu a longa cadeia de ácidos graxos no sangue de seu filho. “O óleo de Lorenzo diminuiu os ácidos graxos de maneira mais eficaz que qualquer outra abordagem médica já tentada. Nós seríamos tolos se não considerássemos aquilo com muita seriedade”, conta o médico Hugo Moser ,maior autoridade mundial em ALD.

O Óleo de Lorenzo não cura a ALD, mas sabe-se hoje que previne a doença. Se o exame diagnosticar a existência do gene defeituoso e a criança passar a tomar o óleo, existe 50% de chances de a doença não se desenvolver. Segundo o doutor Moser, dos 120 meninos que iniciaram o tratamento antes de desenvolver os sintomas, 83 ainda estão livres da doença.

Fundada por Augusto Odone e sua esposa falecida em 2000,  Michaela, a organização Projeto Mielina foi estabelecida em 1989 com o objetivo de custear pesquisas para encontrar a cura para doenças desmielinizantes, como as leucodistrofias (que são genéticas) e a esclerose múltipla (que é adquirida).

Contrariando todos os prognósticos de uma estimativa de vida curta, Lorenzo viveu até completar 30 anos. Ele morreu enquanto dormia no dia 30 de maio de 2008, um dia após o seu aniversário. A causa da morte não foi a ALD, mas uma broncopneumonia persistente devido ao acúmulo de alimentos aspirados pelo pulmão.       

 

Por Mariah Rosa Pires

Jornalista e Diretora ACG Home Care


Deixe um comentário

Curativo é coisa séria.

Os curativos, diferentemente do que a maioria de nós pensa, não são tão facilmente tratáveis e exigem técnicas adequadas, uma vez que a pele constitui uma barreira mecânica de proteção ao corpo, além de participar da termo-regulação corporal e percepções táteis.

Sabe-se que qualquer interrupção na continuidade da pele representa uma ferida, e que essas podem variar em espessura, pois que algumas lesam a pele apenas superficialmente e outras podem atingir tecidos mais profundos. Os curativos, então, são necessários para que haja a cicatrização e a restauração dessa continuidade da pele.

O tratamento das feridas refere-se a proteção de lesões da ação de agentes externos físicos, mecânicos ou biológicos, objetivando reduzir e/ou prevenir os riscos de complicações decorrentes. Crianças e idosos em especial acabam sofrendo com esses riscos muito mais do que imaginamos, pois pelo ‘medo’ da dor de lavar e tratar os ferimentos, escondem daqueles que os poderiam estar ajudando, e causam infecções que podem chegar a erisipela ou celulite cutânea, causada por estreptococos. Aquele ferimento que poderia ser facilmente tratável, com os devidos cuidados, acaba virando algo bem maior e dolorido, necessitando de intervenções médicas além do uso de antibióticos.

O primeiro passo no tratamento que qualquer ferida é a assepsia das mãos, para manipular/observar o ferimento e a seguir a avaliação. Perceber qual o grau de contaminação, a maneira como foi produzida e a profundidade. Em se tratando de um ferimento superficial, limpar bem o local com jatos de soro fisiológico, aplicar produto anti-séptico e manter aberto para cicatrizar mais rápido. Outros ferimentos, é aconselhável procurar uma instituição de pronto atendimento com pessoal especializado.

Durante o mês de julho, nos dias 06, 12, 13, 19, 20 e 27, os treinamentos da ACG Home Care terão como assunto os CURATIVOS

Por Mariah Rosa Pires

Jornalista e Diretora ACG Home Care