Cuidar Mais

Revista virtual da ACG Home Care. Aqui você terá dicas de como manter sua vida com mais qualidade, saúde e bem estar!


Deixe um comentário

Desidratação e memória

Segundo o doutor Arnaldo Lichtenstein, clínico-geral do Hospital das Clínicas e professor colaborador do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), a principal causa da confusão mental no idoso é a desidratação.

A desidratação tende a ser grave e afeta todo o organismo. Pode causar confusão mental abrupta, queda de pressão arterial, aumento dos batimentos cardíacos, angina (dor no peito), coma e até morte.
“Na melhor idade, que começa aos 60 anos, temos pouco mais de 50% de água no corpo. Isso faz parte do processo natural de envelhecimento. Portanto, os idosos têm menor reserva hídrica”, diz o Doutor Arnaldo.
Mas há outro complicador: mesmo desidratados, eles não sentem vontade de tomar água, pois os seus mecanismos de equilíbrio interno não funcionam muito bem. Os idosos desidratam-se facilmente não apenas porque possuem reserva hídrica menor, mas também porque percebem menos a falta de água em seu corpo. Mesmo que o idoso seja saudável, fica prejudicado o desempenho das reações químicas e funções de todo o seu organismo.

Doutor Arnaldo deixa as seguintes dicas:

“O primeiro é para vovós e vovôs: tornem voluntário o hábito de beber líquidos. Por líquido entenda-se água, sucos, chás, água-de-coco, leite, sopa, gelatina e frutas ricas em água, como melão, melancia, abacaxi, laranja e tangerina, também funcionam. O importante é, a cada duas horas, tomar algum líquido ou comer uma fruta. Lembrem-se disso!

Meu segundo alerta é para os familiares: ofereçam constantemente líquidos aos idosos. Ao mesmo tempo, fiquem atentos. Ao perceberem que estão rejeitando líquidos e, de um dia para o outro, ficarem confusos, irritadiços,fora do ar, atenção. É quase certo que sejam sintomas decorrentes de desidratação. Líquido neles e rápido para um serviço médico”.

Por Mariah Rosa Pires
Jornalista e Diretora ACG Home Care


Deixe um comentário

Ai, que dor nas costas!

Não é raro ouvirmos alguém reclamar de dor nas costas. Com a idade, esforço, movimentos incorretos além de outras doenças, pode-se causar esse transtorno que muitas vezes acaba com nosso dia.

Nossa coluna vertebral é composta por 33 ossos ou vértebras que sustentam o corpo, permitindo os movimentos e protegendo a medula, mas o mais importante é a maneira como a tratamos, ou deixamos de tratar. Carregar peso excessivo, postura incorreta e o desgaste que nosso organismo sofre com o tempo podem causar muito mal estar e dor. Alguns sinais de alerta para problemas de coluna são: dor persistente por mais de 3 semanas, piora da dor ao erguer o joelho ou ao girar a cintura, dor após traumatismo ou acidente, irradiação da dor para as pernas, dificuldade de controle urinário ou de evacuação e piora da dor ao deitar e levantar. É hora de procurar um médico.

A melhor forma de prevenção para as doenças da coluna são as atividades física e fisioterapêutica (RPG, pilates, hidroterapia, academia, fisioterapia e outros). A atividade pode ser de acordo com a preferência do paciente, mas deve o especialista em coluna identificar os pontos a serem trabalhados com ênfase.

Deixar a dor de lado ou usar medicamentos sem avaliação médica podem aumentar os problemas e levar até uma cirurgia invasiva. Por tanto, “não deixe para amanhã o que podes fazer hoje”, dê mais atenção ao seu corpo e evite problemas maiores.

 Por Mariah Rosa Pires

Jornalista e Diretora ACG Home Care